Páginas

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

115 anos de Histórias e Glórias

Depois de tantos meses sem postar, hoje resolvi tirar a minha teia de aranha. Ainda bem que conto com a ajuda do Kássio e seus textos maravilhosos.


Na verdade não sei bem o que escrever, estou um pouco atordoada do jogo de ontem e por causa dos resultados de hoje. Perder para o Cam foi muito frustrante e revoltante. Acredito que muitos estão sentindo o mesmo do que eu. Depois do jogo, comecei a chorar de desespero. O MEU FLAMENGO não pode cair!

Essa fase ruim do Flamengo me tirou o tesão de postar, principalmente o show de horror da Libertadores, porém hoje é um dia especial de comemoração, apesar de não estarmos em uma fase muito comemorativa, mas flamenguista é isso mesmo: sofredor, guerreiro e quanto mais leva porrada como a de ontem, mas ama o time.

Vejo várias pessoas criando frases bonitas para o Twitter e eu calada, sem saber o que dizer, então resolvi vir aqui e deixar a minha declação de amor que não cabe em 140 caracteres.

Já falei isso uma vez, a minha relação com o Flamengo é como de um casamento, cheio de altos e baixos, "brigas", mas sempre fazendo as pazes.

É um amor intenso e profundo que poucos entendem.

Foto em SP com o Manto no dia do centernada do gambá.
 E quando se trata de Flamengo, seja lá quem for, se falar mal, compra briga comigo. Sabe mãe quando brava quando falam mal do filho? Então... igualzinho.

Vou aproveitar o post e repostar uma participação minha em no blog Papo de Mulher, onde escrevi a minha história de amor:



Sou a Bruh, tenho 25 anos, carioca e flamenguista.

O amor pelo Flamengo, começou muito antes do meu nascimento.

Como isso? Explicarei.

Meu avô materno que não conheci, era flamenguista doente, apesar de nunca ter ido ao Maracanã, não perdia nenhum jogo em seu radinho. Dos seus cinco filhos, apenas dois seguiram seus passos: minha mãe e meu tio. Ela teve sorte de casar com um flamenguista e eu nasci.

Nasci flamenguista de mãe e pai. Nasci com sangue rubro negro. Meu dna é completamente rubro negro.

Desde muito pequena “brigava” com meus coleguinhas na escola por causa de futebol. Apesar do meu pai nunca ter sido muito fã de usar mantos e nem de me vestir com eles, eu sempre pedia uma blusa do Flamengo. Ganhei a minha primeira com uns 7 anos, era da Adidas, meu tio quem me deu , fiquei super feliz e vivia usando-a. Na minha opinião foi uma das mais bonitas. E então, até hoje coleciono diversos objetos e blusas.

Toda vez que vou a algum jogo, percebo a emoção da minha mãe, por um lado ela fica preocupada, por outro, sempre se lembra do meu avô. E tenho certeza que ele ficaria muito orgulhoso de ter uma neta tão apaixonada pelo Flamengo quanto ele.

Não dá pra descrever esse grande sentimento pelo clube. É uma mistura de amor e paixão, com admiração.

“Só quem é, entende.”

Quando era criança, assistia aos jogos e torcia com meu pai, mesmo sem entender nada do que estava acontecendo.

Lembro da final de 92 Flamengo x Botafogo, meu pai estava ouvindo o jogo e eu também, enquanto brincava de Barbie na sala.

Em 95, no Fla x Flu, no tal jogo do gol de MÃO( não, não foi de barriga) do R. Gaúcho, estava na casa da minha avó e um tio, ambos tricolores, e eu, única flamenguista na casa, escutando o jogo e berrando na janela. Depois de perder o título, chorei. E não foi a única vez que chorei por causa de futebol. Já chorei com derrotas e vitórias, chorei de emoção e de raiva. Sentimentos que fazem parte dessa mistura de sentimentos.

A primeira vez que entrei no Maracanã e vi a torcida cantando, fiquei encantada. Amor a primeira vista. Infelizmente, demorei uns anos para pode voltar, mas na minha volta, fiquei tão estasiada de felicidade, que parecia uma criança feliz.

A minha maior prova de amor ao clube, foi ano passado. Flamengo em uma péssima fase, com derrotas e eu tatuei o CRF na perna. É amor que ficará marcado em mim para sempre. Algo que não se pode voltar atrás e muita gente me achou louca por isso. Só quem é louco pelo Flamengo, sabe o que é essa loucura.

E eu faço parte da maior, mais bela e mais apaixonada torcida. Sinto um imenso orgulho disso e quando a maior torcida fez a diferença em pleno Maraca, eu estava lá segurando o meu retângulo do mosaico, emocionada por estar fazendo parte da história do clube, da torcida e do futebol: O maior mosaico de torcidas.

Tenho tantas coisas para falar do Flamengo que, se falasse todas, esse texto renderia páginas e mais páginas.


F az meu coração acelerar a cada partida, gols e alegrias.

L oucura inexplicável.

A lucinante e apaixonante.

M ais querido.

E terno.

N o gramado, sempre amado.

G osto de você.

O manto sagrado é a minha segunda pele.

 
“Eu sempre te amarei, onde estiver estarei.”

“Levo no peito e na alma, Flamengo é minha vida. Sei que não existe história de amor mais bonita.”

Flamengo x Corinthians 2009

Um dos ingressos que eu guardo.
Blusa que tenho desde os 14 anos

Dizeres atrás da blusa.
Namorado é São Paulino mas não resistiu ao manto.
E nem ao CRF.

E essa é a minha homenagem aos 115 anos do Clube de Regatas Flamengo.

Parabéns, MENGÃO DO MEU CORAÇÃO!

SRN,

Bruh

3 comentários:

Kássio Vióti disse...

Parabéns Bruh pelo post; Apesar dos pesares são nessas horas que mostramos o espirito de um verdadeiro rubro-negro. Tá tenso a situação, mais depende só da gnt em sair dela... hora de lutar e lutar muito; o time tem q pensar que estão representando uma nação com mais de 35 milhoes de pessoas, que respiram Flamengo; esse amor incondicional que ñ se explica em palavras mais sim em gestos traduz a grande verdade da vida; emoção, raça, amor e paixão! E é isso que nos une e nos leva a alegria maior em ter o Flamengo em nossas vidas! SRN

Bruh disse...

Obrigada, Kássio!!
SRN

juliana disse...

adorei os postis,queria muito ter contato com vc, pois sou muito louca pelo mangão tbm e adimiro mulheres assim como nós ki lutam guerreiras e ki lutam para defender seu time. por favor se naum for nenhum encomodo eu gostaria de manter contato com vc..
bjinh0ox!
:*

"Jogar com garra e vontade, Rubro Negro é assim!
Até que a morte nos separe,
Esse
amor eu vou sentir!"